Decoração

As plantas são uma das formas mais antigas de decoração, dando um ar natural e fresco a uma divisão.

decoração

 

As plantas sempre foram relacionadas com o bem-estar, sendo por isso itens que, bem utilizados, dão paz e equilíbrio a qualquer espaço interior.

No entanto, se pretende decorar com plantas, tenha em atenção alguns aspetos, importantes para a saúde das plantas e para a sua saúde. Neste artigo pode ainda conhecer algumas das plantas mais utilizadas na decoração interior.

Se vai decorar algum espaço da sua casa com plantas naturais, lembre-se que elas são seres vivos que necessitam de certos cuidados e condições.

Assim, quando escolher as plantas para decorar a sua casa, verifique primeiro os espaços onde as quer colocar, para avaliar o grau de luz que existe aí.

Cada planta tem necessidades de luz solar diferentes, e como tal, deve optar por plantas que continuem saudáveis no espaço que vai ocupar. Apenas assim é que ela permanecerá bonita, e embelezará essa divisão.

Outro aspeto importante sobre plantas é que elas libertam vapor de água e dióxido de carbono.

Fonte: Dicas de Decoração

1779880_596461747102315_762141521_n

 

Alguma vez você comprou um objeto e, depois de um tempo, descobriu que já o tinha em casa? Acontece direto com os clientes da organizadora profissional Ana Ziccardi, de São Paulo. Ela já desenterrou da bagunça livros, sapatos, objetos de cozinha e até roupas com etiqueta – tudo em duplicidade. Se sua casa está assim, pare de perder dinheiro, tempo e o prazer de ter as coisas à mão. Livre-se dos objetos que você não necessita e deixe aqueles que você precisa em locais acessíveis. Com a ajuda de cinco consultoras de organização, montamos um calendário com dicas para fazer isso em apenas sete dias.

Dia 1 e 2: Organize a sala

1- Recolha todos os itens que não pertencem ao ambiente, como roupas, livros, papéis e DVDs. Coloque tudo em cestos plásticos, um para cada morador da casa e devolva-os para seus donos.

2- Jogue fora os jornais e revistas antigos que não cabem no revisteiro. Se quiser guardar páginas específicas, escaneie ou consulte as edições online. Caso colecione revistas, guarde-as em porta-revistas decorativos.

3- Crie um local perto da porta de entrada para deixar chaves, celulares, carteiras e correspondência. Pode ser uma bandeja ou tigela que combine com decoração. Ganchos são uma solução, mas não tão interessante: você precisará furar paredes.

4- “Fotos demais poluem o ambiente”, diz a organizadora pessoal Anna Ziccardi. Por isso, concentre os porta-retratos em uma mesa lateral ou use o porta-retrato digital. Outra opção: deixe sobre a mesa de centro um álbum ou fotolivro com as fotos favoritas.

5- Guarde CDs e DVDs em organizadores ou caixas decorativas. Se quiser mantê-los nas caixas originais, limpe a cada 15 dias, para evitar mofo e poeira.

6- Copos e pratos que não cabem na cozinha vão para um móvel próprio, como cristaleira ou buffet. Aproveite os copos que sobram para montar um pequeno bar. Para isso, coloque garrafas de vidro, copos em uma bandeja sobre o aparador.

7- Organize os quadros de parede. O centro do quadro deve estar a 1,6 m do piso. Quadros acima dos móveis devem estar distribuídos de forma simétrica a partir do centro do móvel. Coloque-os 25 cm acima do encosto do sofá e a 20 cm do aparador. Antes de furar as paredes teste se vocês gostará da nova disposição dos quadros. Para isso, corte folhas de papel craft com as dimensões do quadro, cole-as nos locais desejados, afaste-se e veja se tudo está do seu gosto.

8- Aprenda novos hábitos. Sempre que comer na sala, leve os pratos e copos para a cozinha; descarte jornais antigos; guarde bolsas e casacos assim que chegar da rua. E não deixe chaves e carteiras espalhadas.

Dia 3: Organize papéis e a mesa do computador

9- A mesa do computador deve ter o mínimo possível de objetos. Deixe lá um porta-lápis, uma pasta, fichário ou caixa de entrada e saída para os papéis e uma agenda.

10- Reduza a quantidade de papéis. Quando receber novos papéis, jogue fora o que for desnecessário, como seus envelopes ou cartas promocionais.

11- Guarde apenas os papéis que vai guardar no trabalho e os indispensáveis, como comprovante de pagamentos de contas (até chegar o comprovante de quitação anual), documentos pessoais, da casa e do carro.

12- Coloque-os papéis do trabalho em caixas de entrada e saída, gavetas ou fichários. Separe-os de acordo com a função de cada um. Escaneie os outros papéis cujas informações você quer guardar. Desenhos das crianças e cartas de amigos podem virar quadros nas paredes.

Dia 4: Livre o quarto (cheio de bagunça crônica)

13- Primeiro, jogue fora revistas e jornais velhos, papéis sem uso, e o lixo espalhado.

14- Diminua o número de objetos no criado-mudo. “Um livro, luminária e um enfeite estão de bom tamanho”, diz Rafaela.

15- Ordene os livros por tamanho ou pela cor das lombadas. Limpe-os com pano seco uma vez por semana – se você sofre de alergia, esse número aumenta.

16- Doe os brinquedos sem uso e jogue fora os quebrados. Guarde os brinquedos restantes em caixas diferentes, de acordo com seu tipo. Coloque etiquetas nas caixas para que as crianças saibam onde guardar os brinquedos. Se elas não souberem ler, desenhe o tipo de brinquedo na caixa.

17- Aproveite a semana da organização para começar novos hábitos! A cada manhã, tire do quarto objetos que não pertencem ao espaço, como canecas, pratos, livros da sala.

18- Também arrume a cama. “Já é mais de meio caminho andado”, diz Rafaela. Se você não acha difícil por a cama em ordem, facilite: use apenas dois edredons para cobri-la. Quando acordar, bastará esticar os edredons.

19- E antes de dormir, pendure ou guarde as roupas que vai usar novamente – vale à pena instalar ganchos e cabideiros no quarto se você não tiver. As peças sujas devem ir para um cesto ou saco de lavanderia.

Dia 5: Organize roupas e sapatos no armário ou closet

20- Primeiro, retire as roupas e sapatos do armário para tomar um ar. Separe para doação as roupas que não usa há mais de seis meses. Jogue fora as com defeito.

21- Separe as roupas de calor das de frio e as de trabalho das de passeio ou de ficar em casa. Dobre malhas, roupas de ginástica e camisetas. Elas podem ir empilhadas (em pilhas baixas) nas gavetas e prateleiras. Camisas, vestidos, casacos e ternos ficam em cabides - providencie modelos iguais feitos de plástico ou madeira, que são mais resistentes.

22- Posicione as roupas da estação onde for mais fácil pegá-las. No inverno, guarde os casacos pesados em cabides. No verão, guarde-os junto com malhas nos maleiros. Nessa épocam, guarde-os em sacos a vácuo. Essas embalagens têm uma entrada para a mangueira do aspirador de pó, o que permite retirar o ar das roupas, deixando-as menores.

23- Além de separar por estação, organize as roupas segundo uma lógica que você preferir: frequência de uso, tamanho ou cor.

24- Nas prateleiras, faça pilhas com poucas peças – assim elas amassam menos e ficam mais fáceis de retirar. Ana usa as seguintes quantidades máximas por pilha: doze blusas, quatro malhas, dez camisetas.

25- Dobre as roupas de cama e organize-as em conjuntos, colocando as fronhas por dentro do lençol. Enrole as toalhas em rolos apertados. Guarde-as em prateleiras ou gavetas.

26- Organize os calçados de forma que você possa ver todos de uma vez – vale usar uma prateleira deslizante, daquelas que funcionam como gavetas. Sapateiras de porta, de tecido ou arame, são uma alternativa mais barata. Adquira o hábito de deixar o suor secar nos sapatos antes de guardá-los.

27- Não deixe os calçados amassarem. Assim, evite empilhá-los. Se for inevitável, coloque as sandálias sobre os sapatos. Guarde botas com um enchimento dentro – caso tenham cano alto, coloque lá dentro garrafas PET com um pesinho. Outra opção é guardá-las presas a um cabide com presilhas ou pregadores.

Dia 6: Enfrente o caos da cozinha

28- Prepare o terreno! Primeiro, lave a louça e depois limpe o fogão, bancada e armários. Deixe na bancada apenas objetos de uso diário – como cafeteira e espremedor de frutas, se fizer suco todo dia.

29- Organize os armários. Empilhe pratos em um armário de fácil acesso. Para eles não trincarem, a pilha deve ter no máximo 16. Faça pilhas diferentes para pratos rasos e fundos. Empilhe também as tigelas – no máximo três por vez. Copos ficam de cabeça para baixo dentro do armário. Prenda as canecas pela asa em ganchos fixados acima das prateleiras ou na parte debaixo do armário.

30- Coloque talheres em gavetas com divisórias internas e separe os garfos das facas e colheres. Outra solução é colocá-los de pé em potes de vidro, também separados. Se você tem criança em casa, use acessórios que tranquem as gavetas onde há vidros e talheres.

31- Arrume os recipientes grandes. Instale no armário divisórias verticais e guarde lá frigideiras, formas, travessas e bandejas – assim, fica mais fácil retirá-las. Empilhe as panelas e enfileire suas tampas em uma caixa plástica, da maior para a menor.

32- O material de limpeza deve ir para um cesto plástico sem tampa. Só traga o cesto para cima da bancada quando precisar usar.

Dia 7: Ponha cada coisa em seu lugar no banheiro

33- Primeiro, tire todos os produtos dos armários, prateleiras e bancadas. Descarte embalagens vazias, produtos abertos há mais de seis meses, fora da validade ou que não usa.

34- Separe os produtos de uso diário, como pasta de dentes, escova, desodorante de protetor solar. Guarde-os em uma bandeja sobre a bancada, para tornar a limpeza mais fácil. Deixe as escovas em um recipiente tampado, ou com protetores plásticos.

35- Só deixe no box os produtos usados durante o banho. Troque as esponjas do box a cada dois meses, evitando fungos e bactérias.

36- Divida os produtos que sobraram em categorias – por exemplo, produtos para unhas, cabelos, corpo ou dentes. Coloque-os em divisores de gavetas com rótulos ou caixinhas de plástico ou papelão. Mantenha um estoque de materiais de higiene no banheiro. Se tiver pouco espaço, deixe pelo menos um de reserva, para não ficar na mão na hora que mais precisa. Separe-os em caixas plásticas, fáceis de lavar.

37- Escovas, pentes e secadores de cabelo podem ir para gavetas. Se o banheiro não tiver espaço, guarde em caixas de plástico transparente abaixo da pia. Outra opção é guardá-los em gaveteiros com rodinhas. Também vale pendurar o secador em ganchos instalados no azulejo ou na porta do armário.

38- Toalhas podem ficar em toalheiros atrás da porta, se faltar espaço no banheiro. Mas se o banheiro tiver espaços sobrando, guarde ali rolos de papel higiênico e material de limpeza que não couberem na lavanderia.

 

Decorar uma sala pequena não precisa ser missão impossível. Confira no post de hoje como tornar o seu espaço mais atraente apostando nos truques certos!

Quando se tem um ambiente grande, a decoração é muito mais simples. Você pode brincar sem medo com cores, objetos e móveis sem correr o risco de “tumultuar” o espaço. Em ambientes menores, como uma sala pequena, a história muda. Mas nem por isso o seu espaço de convivência principal da casa precisa ser deixado de lado.

Com dicas simples e fáceis de serem postas em prática é possível tornar uma sala pequena um espaço harmonioso, arejado e aconchegante. Veja abaixo algumas maneiras de maximizar o seu espaço!

Dicas de decoração para sala pequena
Cores certas e ambiente organizado
Para a sua sala pequena ganhar uma ilusão de espaço maior, opte sempre por cores claras, principalmente nas paredes e nos móveis maiores. Não precisa se ater ao tradicional branco: gelo, off white e tons claros de creme dão conta do recado. Deixe o colorido do ambiente para pequenos detalhes, como almofadas, bancos, abajures e mantas.

A organização também faz milagres! Uma sala pequena já não comporta espaço para muitos adereços; com bagunça, então, o espaço se reduz mais ainda. Invista um tempo diário na organização. Um timer diário de 15 minutos para colocar no lugar o que está perdido pela sala já dá um tremendo alívio visual.

sala-pequena-cores

 

Fonte e fotos : Lola Home

Onde colocar o tapete? Essa é uma dúvida que muitas pessoas podem ter na hora de decorar a casa. A revista ANAMARIA traz dicas de qual é o tapete ideal para cada cômodo.

tapetes-para-sala

Toque pessoal na cozinha
Função: disfarça piso gasto e absorve gordura

O tradicional tapetinho colocado sob o gabinete da pia não é enfeite. Ele deve ter a largura da bancada da pia e do fogão. Assim, absorve respingos das panelas e evita escorregões. Além disso, pode disfarçar imperfeições no piso. Opte pelos modelos de cor mais escura, que escondem manchas e sujeiras.

Sala de jantar sem tropeços
Função: protege dos arranhões das cadeiras

O tapete na sala de jantar impede que pisos laminados, assoalhos ou carpetes de madeira fiquem riscados. Por isso, deve seguir o formato da mesa e ter, pelo menos, 70 cm de borda a mais do que o tampo da mesa. Assim, mesmo durante o uso, as cadeiras estarão sempre sobre ele.

Quarto e sala aquecidos
Função: acomoda os móveis e esquenta

Há duas maneiras de colocar tapetes na sala e nos quartos: debaixo dos móveis ou numa parte de piso vazio. A primeira opção ajuda a fixar a peça e evita deslizes. Posicione o tapete de modo que fique pelo menos 30 cm coberto pelo móvel. Já para preencher um piso vazio, prefira a segunda alternativa e encoste o tapete na borda dos móveis.

 

Fonte: Revista Abril

A florista Helena Lunardelli dá lições simples e certeiras para quem quer deixar as flores ainda mais bonitas dentro de casa. Não há como errar, é só querer e se aventurar.

abre-dicas-para-deixar-seu-jardim-mais-bonito

 

Escolha o recipiente de que mais gosta.

Além de vasos, jarros e garrafas acolhem de bom grado um belo buquê. “O ideal é que tenham no máximo 15 cm de diâmetro e 30 cm de altura”, recomenda Helena. O local onde será colocado também conta. Não deve atrapalhar a visão ou a passagem das pessoas, certo?

É chegada a hora de comprar a flores.

“Elas são como frutas e verduras. Devem ter bom cheiro, textura firme e cor opaca, pois as brilhantes nem sempre estão saudáveis”, explica a florista. Prefira os botões, que, além de durarem mais, facilitam a montagem do arranjo por serem pequenos. Com relação à cor, a dica é escolher apenas um tom e duas ou três espécies de fores – ao diminuir os itens da mistura, aumentam as chances de uma composição elegante. “Evite as folhagens e caules robustos. Eles exigem mais habilidade de manuseio.”

Preencha o vão com 1/3 ou a metade de água.

“Quanto mais o caule tem contato com a água, mais facilmente ele apodrece.” Retire todas as folhas que estão dentro do recipiente para não atrair bactérias.

Corte a ponta dos caules em ângulo de 45 graus.

Isso aumenta a superfície de contato e os faz absorver melhor o líquido. “Para calcular a altura certa do corte, leve em conta que as fores devem ter no máximo meia altura a mais do que o vaso. Se ele tem 50 cm, a flor deve ter 75 cm”, ensina ela.

Inicie a montagem pelas flores maiores.

Entre o lírio e a rosa, por exemplo, comece pelo lírio. “A quantidade deve ser em número ímpar para criar harmonia estética.” Quando perceber que as flores estão começando a esmagar as pétalas umas das outras, é o momento de parar. “Com o arranjo pronto, troque a água a cada dois dias quando o vaso deve ser lavado”, aconselha Helena. Por fim, não esqueça: arranjos forais não gostam de luz direta e tampouco de ar condicionado muito frio.

Fonte: Casa Abril

Como o designer de iluminação promove aos usuários de um ambiente mais saúde, bem estar e eficiência nas atividades exercidas?

Newest-Modern-Living-Room-With-Lighting-Accents-1024x682O profissional que executa o projeto luminotécnico  de um ambiente cria inicialmente um conceito. Coleta dados da arquitetura, de preferências e necessidade dos usuários, são elementos importantes nessa primeira fase.

O conhecimento de técnicas luminotécnicas é importante para especificação de luminárias, lâmpadas, leds e acessórios correspondentes aos efeitos de luz desejados no projeto e a quantificação correta do pacote de luz necessário a cada atividade (regido por normas).

Considerar aspectos fisiológicos causados no ser humano pela incidência da iluminação durante o dia e a noite deve ser levada em consideração.

Cientistas descobriram que as pessoas têm um relógio biológico oriundo da pré-história e que as rege ate hoje. É o ciclo circadiano. Imagina-se que ao final da tarde, os primatas diminuíam o ritmo de trabalho, entravam aptos para as atividades. Eram regidos pela condição da luz oriunda da abobada celeste.

Hoje, há o conhecimento de que hormônios e substâncias neurotransmissoras são secretados diante da condição da luminosidade natural e artificial. Pela manhã, quando as pessoas enxergam os primeiros raios de luz, a glândula suprarrenal começa a produção de cortisol, hormônio da disposição para o trabalho (deixar mais claro). A concentração maior deste hormônio no organismo se dá entre as 11 horas e 15 horas, pois, é quando se visualiza no céu uma luz mais branca e intensa. Com a luz amarelada e mais amena do pôr do sol, o organismo humano diminui a produção do cortisol e prepara o corpo para produzir a melatonina, neurotransmissor que age no escuro e que estimula a secreção de hormônios, na corrente sanguínea, responsáveis pela renovação celular, crescimento, armazenamento de dados na memória, relaxamento do corpo e retirada de açúcar do sangue.

Quando os ambientes são iluminados, contrariando o ciclo circadiano, os hormônios não serão produzidos e haverá um impacto do corpo humano com doenças como diabetes, depressão, irritabilidade excessiva, sonolência, cansaço constante, falta de memória e concentração.

Aí está importância do projeto luminotécnico, que estipula os equipamentos a serem usados, escolhe a cor da luz, calcula quantidade de luz e a eficiência energética, estimula efeitos psicológicos e comportamentais nos usuários, define ou homogênea para ressaltar a mensagem sugerida pela arquitetura e o design de interiores.

Por Daniela Azevedo

Fonte: revista Vip Imóveis

 

2 Comments

cozinho 1

Falta de tempo - ou de dinheiro - para decorar o ambiente mais gostoso da casa não deve impedir que a cozinha tenha seu charme próprio. Arquitetos, decoradores e personal organizers têm apostado cada vez mais em uma decoração funcional para embelezar o espaço e, de quebra, torná-lo mais prático. A partir dessa tendência, potes de mantimentos e temperos deixam de ocupar armários fechados ou despensas para então aparecer em prateleiras, à vista e ao alcance de todos. O mesmo acontece com os utensílios de cozinha, as louças e os galheteiros que passam a enfeitar bancadas, estantes e até as paredes. Veja abaixo fotos inspiradoras para decorar seu ambiente com mais funcionalidade.

cozinha 2 cozinha 3 cozinha 4

 

Por Pollyana de Moraes